DIÁRIO DE UMA GRÁVIDA: 23 SEMANAS

4 de setembro de 2014

Atrasado um dia, eu sei, mas vou aproveitar esse pedido de desculpas para pedir pelo post de compra do enxoval em Miami. Estou devendo ele, eu sei também, mas acontece que esse tipo de post eu gosto de fazer direitinho, sabe? Gosto de sentar, escrever com calma, ver as fotos, praticamente “conversar com vocês”. O problema é que quem me acompanha pelo Insta está vendo a minha correria, viagens, eventos, então não estou conseguindo fazer o post da forma que eu quero. Não quero simplesmente escrever na correria, passar as informações e pronto. Mas prometo que o post sairá o mais rápido possível, cheio de informações legais e tenho certeza que vocês vão amar. Ok?

23 semanas! Que beleza! Como está passando rápido e como estou amando esse período da gravidez.

nati-vozza-gravida-preferencial

Esses dias postei uma foto do meu look, porém mencionei que estava na fila do Starbucks e aí começaram os comentários dizendo que sou preferencial, que não preciso pegar fila e etc, então resolvi falar um pouco sobre isso… Não uso a barriga pra muita coisa, fila do Starbucks então muito menos rsrs. Sinceramente não vejo essa necessidade em filas pequenas, apesar de ser lei – como algumas mencionaram – eu estou me sentindo bem, não preciso usar da lei para furar uma filinha boba. Outro dia precisei ir até o banco, coisa que raramente faço, a fila era de 3 pessoas e eu virei a quarta, não havia essa necessidade sabem? Todos que estão ali estão com pressa, alguns com uma pressa maior do que a minha, por exemplo. Mas confesso que se tivesse 20 pessoas na fila eu usaria. Acredito muito no bom senso.

Porém, em uma fila de embarque no aeroporto eu uso esse privilégio com todas as minhas forças, apenas pois as pessoas são muito sem educação e rola um empurra empurra como se não houvesse lugar marcado, é impressionante, já repararam?(normalmente eu sou a última a entrar no avião, deixo as pessoas se matarem e entro depois, mas grávida é ruim, pois não encontro fácil lugar para a mala, a barriga é ruim para entrar na cadeira com as poltronas já ocupadas etc). Mas essa semana aconteceu algo impressionante no Santos Dumont quando tentei embarcar para São Paulo na fila preferencial: Cheguei, notei uma fila imensa para embarque e outra relativamente grande para embarque preferencial, porém sem ninguém realmente preferencial – cadeirante, idoso, criança de colo e grávidas – nessa fila. Percebi na hora que se tratava de preferencial com cartão de fidelidade, o que eu também sou, mas de acordo com a lei – e o bom senso – o preferencial por lei é chamado antes de preferencial fidelidade. Bom, chamei então o atendente da TAM e perguntei sobre a fila de prioridade e recebi a resposta bem sem educação de que “era essa mesma fila”. Como eu vi que a primeira pessoa era um homem, na faixa dos 40 anos, esperei a chamada ao lado dele, apenas pois eu sabia que quando começasse o embarque o atendente falaria: “começaremos o embarque chamando prioridade por lei, seguido de prioridade one world e fidelidade TAM”. Quando essa primeira pessoa vira pra mim e fala: “FIM DA FILA”… Fiquei em choque, não tinha palavras, e quem me conhece sabe que elas nunca me faltam. O atendente TAM não fez nada e minha resposta foi apenas: “Não vou discutir com o Sr, pois claramente lhe falta berço (deixando claro que berço, pra mim, é educação e não dinheiro como muitas acham que é), e já está tarde demais para aprender”. Peguei minha mala de mão e fui para o final da fila. Ninguém me defendeu, um bando de homem engravatado na prioridade cartão vermelho, mandando uma mulher sozinha, grávida, para o final da fila de prioridade. Meu sangue subiu, meus olhos marejaram de tanta raiva, fiquei pensando em milhões de coisas e em como somos sem educação por aqui. Talvez eu seja mal acostumada, pois meu marido busca água para minhas amigas quando elas mencionam sede. Talvez eu seja mal acostumada pois meu marido teria defendido e cedido seu lugar na fila para a grávida. Não sei, só sei que fiquei pensando sobre como não vou mais usar fila de prioridade e começar a acompanhar a reação das pessoas, tipo um estudo. Pensei em como um senhor virou meu amigo e engatamos em uma conversa de 20 minutos só porque eu o deixei passar na minha frente no cadastramento para entrar no prédio do meu médico, ele falou: “minha jovem, muito obrigado, isso não acontece com frequência”. Pensei também na educação como um todo nesse país, e, principalmente, nas famílias que não ensinam noções básicas de tratamento. Por fim, pensei em como quero que meu filho saiba tratar os outros e principalmente uma mulher.

THE END!

Mudando de assunto, estou lendo um livro muito interessante chamado “CRIANÇAS FRANCESAS NÃO FAZEM MANHA”. Claro que deve ser algo generalizado, claro que muitas devem fazer, mas o livro é uma delícia e partido do ponto de vista de uma americana que vai morar na França e começa a perceber a diferença de comportamento de sua filha para as outras crianças por lá. Ela começa então a analisar e buscar referências que explique essa diferença tão drástica no comportamento e educação das crianças. Eu concordo com quase tudo que ela ensina e explica, sei que muitas mães devem achar um absurdo alguns conceitos, mas eu pretendo tentar seguir com vários ensinamentos. Imagino o quanto deva ser difícil de colocar em prática, mas se eu não tentar, como saberei? Acho válido.

Já contei que antes da faculdade de moda eu engatei em uma faculdade de psicologia? Cursei 1 ano até que decidi mudar para a moda, mas sempre gostei, sempre fui muito observadora de comportamentos, e o início do meu curso de psicologia começou com a psicologia infantil, algo que sempre me atraiu e que possivelmente eu teria seguido se tivesse me formado na área. Acredito muito que cada um vem com uma personalidade própria, porém também acredito que a criança vem sem vícios, quem os vicia em algo somos nós. Criança que é viciada em dormir no embalo do carro, por exemplo, não veio com esse vício. Ou criança que mama religiosamente 3 a 4 vezes por noite até mais de 1 ano de idade também não veio com esse vício. O ruim desses pequenos vícios bobos é que muda demais a vida dos pais e isso não é saudável. Resulta em pais cansados, sem vida própria, e estressados por isso. A criança tem que entrar na sua rotina e não o contrário. Claro que com bom senso né gente, criança também precisa de horários e disciplina, o difícil é saber dosar… Eu sei. Ou melhor, imagino.

Ai ai, já estou até vendo a discussão que esse post vai dar. Mas essas são as minhas filosofias, não estou dizendo que você que não pensa assim fez errado, não acredito que existe certo e errado, todos estão no mesmo barco, tentando acertar.

Beijos com carinho,

Nati e Bê

Compartilhe:

70 comentários

Deixe uma resposta

  1. adoro voce e blog, voce e muito esclarecida, mas se referir a alguem com o termo ” falta de berço ” e no minimo preconceituoso , coisa que acho que voce nao é . beijos

    1. Só uma pergunta: Com tudo que ele fez, vc conseguiu focar no “berço”? Os valores estão realmente invertidos. E preconceito está no seu olhar, pois berço, pra mim, é educação. E educação nada tem a ver com preconceito, a não ser que vc entenda de berço de outra maneira

  2. Nati, acho que nunca comentei aqui no blog, mas sempre acompanho você, mais pelo instagram…estou adorando essa fase gravidinha que vc compartilha com as leitoras, pois se nota o carinho e atenção com que vc escreve no blog. Aprendo muito com você e tem sido a minha inspiração! Sou casada há 3 anos e ano que vem quero engravidar se Deus quiser! Então estou ligadinha nas suas dicas e reflexões de mommy to be :) beijos e muita saúde pra vc e seu Bê!

  3. Por Joka Silva - Styles Diary

    OI Nati , tudo bem?
    Tem uma blogueira chamada flavia calina, não sei se vc conhecer, mas o mais conhecido dela é o canal no youtube, depois que ela teve uma filha (que foi um processo bem longo e de inseminação) , ela conta e mostra muita coisa do metodo montessori, estou amando (mesmo longe de ter filhos), é impressionante como vejo muitas mãe que não sabem de nada, e nem é tão dificil assim, vale a pena assistir os videos ela é um doce e uma pessoa incrivel.
    Fica a dica.
    Beijos Joka

  4. Nat, concordo com vc. A falta de educação no nosso país me assusta! E também não estou falando da educação que vem da escola, isso é a escolaridade, mas da educação que deveria vir de casa.
    Nesse caso, provavelmente eram homens de negócio, estudados, inteligentes, e cade a educação?
    Fiquei chocada com o tanto que blogueiras que eu seguia que, na época da Copa, participaram ou defenderam os xingamentos a presidente Dilma. Para mim não há prova maior do quanto a escolaridade é diferente da educação. E como nem sempre, pessoas que tem “berço”, riquinhos socialites que se acham verdadeiros princesas e príncipes a tem. E ainda reclamam da suposta falta de educação do “povão”, que muitas vezes se mostram muito mais gentis.

    1. Livia, concordo com você!!!! Escolaridade nada tem a ver com educação. E Berço é educação que vem de casa, não quer dizer dinheiro… as pessoas estão trocando tudo, trocando todos os valores…

  5. Olá Nati, entendi super a falta de berço, pois na minha cabeça também se refere a educação, só que possuimos uma diferença, eu não teria conseguido ficar calada, me conheço muito bem, e não sairia de lá por nada, a não ser que chamasse os seguranças e isso só faria com que eu pusesse um belo processo neles.. enfim, tenho sangue fervendo.. kkkk adoro vc, muita saúde pra vcs dois!!

    1. Complicado, não quis brigar pois não valeria a pena e grávida eu fico mais nervosa, talvez eu perdesse a razão sabe? Preferi ficar na minha…

  6. Oi Nati! Você está com toda razão sobre a fila preferencial, já passei por isso com crianças pequenas em vôos e não tem preferência nenhuma! A educação hoje é artigo de luxo, mas se acontecer de novo você deve reclamar sim, é seu direito e os atendentes que se virem! Bjuuu

  7. voce deveria ter dito à pessoa, “vou precisar chamar a policia para garantir meu direito”, eu não abriria mão disso, mas respeito sua opinião, trabalho num órgão publico e vejo muitos homens engravatados, ate advogados, fazendo a mesma coisa, é lamentável, ah eu sonho com um povo educado e politizado para este País, é utopia??

  8. Nati, pura verdade!!! Se seus olhos ficaram marejados, os meus também ficaram ao ler seu depoimento.
    Linda, linda, linda!! Muita saúde pra vocês!!

  9. Sabe Nati, todos os dias eu me questiono sobre isto, sobre a falta de sensibilidade, companheirirmo e compaixão. Infelizmente alguns seres humanos vivem em uma bolha, numa redoma, recheada de egoísmo e e falta de misericórdia, e infelizmente ainda vem aqui e dizem que é preconceito, poxa, isso só afirma a minha, a sua e a opinião dos poucos que restam, do que é se doar, do que realmente é amor ao próximo. Um grande beijo, você está linda.

  10. Oi!! Eu também estou grávida. Estou de 33 semanas. Essa questão de preferencial é muito estressante. Lendo seu relato me lembrei das raivas que passei e, sim, por lembrar delas muitas vezes abdiquei desse direito. Cheguei à conclusão que eu ficava tão nervosa que não valia a pena pra mim e pro meu filho. A falta de educação e cidadania das pessoas não é uma coisa que temos que nos acostumar, mas pelo momento mais frágil que estamos passando é melhor nos controlar e abstrair porque esse nervoso todo que faz o sangue ferver não vale a pena e nos faz mal. Eu perco a paciência! Parece que somos invisíveis. Tem bastante tempo que ando com os braços pra frente fazendo uma espécie de escudo pra evitarem que batam na minha barriga. Lembro de poucas vezes, estranhos sendo gentis comigo porque sabem que a barriga pesa, os pés incham, o cansaço sobra… O jeito que tem é ir levando e rindo da situação. A pior que passei foi uma senhora, igualmente preferencial, dizendo que aquela não era minha fila e que eu não tinha idade pra estar grávida. Absurdo!!!! Mas enfim… curta sua gravidez e tente abstrair e esquecer a falta de educação do povo. Não vale a pena! Beijos!! Você está linda e radiante!

  11. Nati, eu concordo com você, até porque quem não conhece a frase “educação vem de berço”? Eu passei exatamente pelo mesmo que você, e pior ainda, eu era como vc, uma gravida que demorou a aparecer à barriga, então usava a mesma fila de todos, mas conforme a barriga vai crescendo temos necessidade de que seja rápido, incomoda, os pés doem, é complicado, mas confesso que agora que o Rafael nasceu eu faço valer o nosso direito, tanto o meu como o dele, “mães com criança de colo” e mesmo que ele esteja no carrinho ele é “de colo” e muitas pessoas não entendem isso, a criança não tem paciência de esperar, e mesmo no carrinho começa aquele auê, vc vai ver como fica depois que nasce, quando estamos gravidas, choramos, ficamos sensíveis com tudo, depois que nasce viramos leoas, e nenhuma cara feia nos impede de fornecer a nossa cria o bem estar que elas tem de direito, então eu vou lá e pergunto: onde é o preferencial? E vou com olhares feios me olhando e eu quase tropeçando em carrinho e bolsas hahaha, mas assim que tem que ser, acho que desde cedo já será uma maneira de ensinar o Rafael que assim como hoje nós temos esse direito um dia outra pessoa terá, está vendo como “educação vem de berço”? rsrs
    Vc ta de parabéns, vc será uma ótima mãe, com valores e princípios para passar ao seu filho…
    Bjos

  12. A TAM desrespeita completa as gestantes!
    Fui fazer meu enxoval em Miami, já estava bem barriguda, e voltei de TAM. Acredita que tive que ficar duas horas na fila para despachar minhas malas? Tinha eu e outra grávida. Fomos as duas reclamar e o funcionário nos xingou, falou que era para parar de reclamar! Quando pedimos o nome dele, sabe o que respondeu? Meu nome é fulano, e pode reclamar sim, porque é assim mesmo, entao nem adianta reclamar! E pior foi que as pessoas que estavam na fila começaram a rir da nossa cara! Passamos a maior vergonha.
    Muito, muito triste….

    1. voces precisam escrever pra relaçoes publicas da tam e relatar as historias, nao adianta falar com funcionario.
      eh um absurdo uma cia aerea tratar assim as gestantes.que falta de respeito!

  13. revoltante oque houve com você na fila, como pessoas são incapazes de perderem 5 minutos (ou ate menos) de seu tempo para serem gentis com os outros.

  14. Passei por uma situação no aero terrivel. Fui viajar com o namorado e o filho dele, fomos pra fila preferencial. As pessoas reclamando, alguns até xingaram. Eu nem me abalei, mas meu namorado queria de qq maneira sair daquela fila preferencial e encarar a fila quilometrica. Não saí, usei o direito que tinhamos. As pessoas estão muito sem paciencia, sem educação. O pior é que todos embarcariam, e sentariam em seus lugares marcados… Aprendi a respeitar os mais velhos, dar o lugar… isso é questão de bom senso. Pena que não são todas as pessoas q os tem. Quanto a gravidez… vontade de ser mãe a cada post que leio!!!!!!

  15. Nat, Nathinha! Simplesmente A.DO.ROOOO o blog!! Você está uma grávida linda!! Mas aqui, que desagradável esse caso TAM hein?? Fiquei estressada lendo, é muito descaso com você, querida. Falta muito berço para essa brasilidade mesmo!! Boa gestação!! Já estou louca pra ver a carinha do baby!! bjinhos

  16. Oi Naty, tudo bem? Está linda grávida! Sou mãe de um lindo menininho de 7 meses e meio e também li o livro “Crianças Francesas não Fazem manha”, bem como os livros da “Encantadora de Bebês”. Agora estou lendo o livro “A ciência dos bebês, da gravidez aos cinco anos”. Dá uma olhadinha você vai gostar. Queria deixar uma contribuição para sua futura vida de mamãe: não se cobre demais e não deixe de dar colo para seu filho. Eu quase entrei em parafuso com medo de estar mimando demais o meu, mas a verdade é que há um momento, principalmente no início, em que eles ainda não compreendem que são um indivíduo separado da mãe, no qual é muito importante que recebam colo e atenção. Tente evitar criar vícios, mas lembre-se de que se trata de uma criança e que precisa ser defendida pela mãe. Li um texto muito interessante sobre essa ansiedade que temos em tornar nossas crianças independentes cedo demais, que isso pode gerar adultos inseguros e carentes (pois é na primeira infância que precisamos de atenção e vínculos afetivos fortes). Ouvi de muitas mãe mais experientes que um dia nossos filhos crescerão e quem não vai quere colo são eles, então aproveita para curtir teu pequeno enquanto pode.

    E sobre a má educação do indivíduo na fila, eu não tenho a paciência (e classe) que você teve: mesmo que em um tom equilibrado de voz eu comentaria que, caso ele não tivesse aprendido, é educado ser gentil e dar preferência a mulheres grávidas. Concordo que a educação vem de berço.

    Beijo e ótima gravidez para você!

  17. Nossa, Nati, penso exatamente como você. Também estou grávida, de 26 semanas, e, em regra não uso a preferência para nada. Estou passando super bem e minha barriga não me limita. Assim, posso muito bem aguardar em filas. Todavia, espero sim ser tratada com gentileza, não apenas pela gravidez, mas sobretudo por ser mulher. Também tenho um marido gentilíssimo que me fez criar o hábito de me sentir merecedora de gentilezas. E, olha, isso é tão bom e tão educado, que, como você, também acho obrigatório criar meu filho com esa noção. Estou com você, na luta por um mundo onde os maimeninos sejam como nossos maridos! beIJOS

  18. Estou adorando os seus posts, estou me preparando para engravidar no começo do ano e já estou anotando várias dicas!

  19. Será problema no meu comp.? É a 2º vez q estou escrevendo e some tda escrita….:( Por favor, deletes tdos os coments, pois foram incompletos….) Bj Nati

  20. Nati, adoro os diários! E também me surpreende a falta de educação, e de bom senso das pessoas, com certeza a sua visão sobre isso terá influência direta naquilo que você passará para o seu filho, pela forma que espera que ele trate o próximo, com respeito e educação. Bjos

  21. Oi, Nati, nunca comentei aqui, mas a ignorância desse senhor me deixou indignada!!!! Nada explica essa reação a não ser uma péssima educação. Infelizmente isso está por todos os lados. A sua resposta foi ideal pq discutir com alguém assim não acrescentaria em nada na sua vida. Beijos

  22. Naaaa linda!!!!
    Infelizmente hoje em dia as pessoas confundem berço com: cartão fidelidade, dólar, cartão sem limite, advogado, desembargador, procurador, médico, filho de fulano, de ciclano, neto de alguém,e assim vai, só pq tem uma carteirinha, um benefício, um qqer coisa, se acham superior as outras, quem tem o direito por lei deve ser priorizado em qqer estabelecimento!!! É muito mais triste que revoltante esta situação.
    Imagino como vc deve ter ficado nervosa, pq nessas horas meu sangue ferve rsrsrsrss!
    Beijos em vc e no Bê!!

  23. Nati, a falta de educação é geral!!! Eu estou grávida de 28 semanas e sempre fui baixinha e magrinha, tenho pouca barriga. Para evitar confusão, já que não tenho um barrigão gigante, e pq me sinto bem, nunca entro em fila preferencial. Bom, outro dia fui à Leroy Merlin para comprar tinta para pintar o quarto da bebê e meu marido voltou no carro para pegar a carteira que tinha esquecido. O funcionário da Leroy, vendo que eu estava grávida, se ofereceu para levar as latas e me deixar na fila enquanto meu marido ia no carro… Ele me colocou na preferencial e disse “se seu marido não voltar a tempo, peça para a moça do caixa chamar o ajudante para pegar as tintas”. Eu agradeci e fiquei lá. Na minha frente tinha uma moça com um bebê de colo e engatamos uma conversa sobre primeiro filho, etc. De repente, uma idosa me agarrou pelos ombros e me arrastou da fila gritando “AQUI É FILA DE IDOSO! VC NÃO PODE FICAR AQUI!!”. Acabei me desequilibrando, bati com o quadril em uma gôndola, minha bolsa caiu no chão… Todo mundo começou a gritar para a mulher me soltar “ela tá grávida! Ela tá grávida!”. Pergunta se a criatura pediu desculpas??? Nada! Ficou se justificando, dizendo que achava que eu estava “FURANDO FILA, pois a fila é para velhos”. Fiquei super nervosa, comecei a chorar. Meu marido chegou naquela confusão, veio gerente, segurança. Enfim, acabei tendo que ir pro pronto-atendimento, pois fiquei com falta de ar e minha pressão subiu! Hoje em dia não entro nessas filas nem que me paguem… Prefiro esperar a fila comum esvaziar ou volto outro dia pq ng merece passar esses nervosos na gravidez. E, sinceramente, hj me arrependo de não ter ido na polícia, pois o gerente do Leroy disse que me acompanharia e levaria as filmagens da câmera de segurança, mas na hora ficamos tão desnorteadas que acabamos não fazendo nada e por isso esses folgados não tomam jeito!

    1. Nossa senhora, não acredito nisso!!!!! Eu teria prestado queixa, mas também entendo vc, não vale a pena o nervoso né???? beijos e que com que tudo acabou bem

  24. Oi Nati! Adorei o post! Vc está ainda mais linda grávida!
    Gostaria de deixar um comentário da minha experiência como mãe já há 1a5m… Porque se for para falar de como está a educação neste pais, não saberia nem como terminar… Lamentável!
    Pois bem, costumo brincar que a primeira coisa que aconteceu comigo ao deixar a maternidade foi (com o perdão da palavra) um cuspe bem no meio da testa! Rsrs (sabe a frase: não cospe para cima que cai na testa?)
    Infelizmente ou felizmente, fiz várias coisas que um dia já disse que não faria de jeito nenhum… Criar os filhos dos outros é super fácil… Dar palpites então…
    Mas também o que gosto de dar de dica, é: nunca deixe sua intuição de mãe de lado em detrimento de uma teoria de algum livro… Cada bebê é de um jeito, cada família é de outro…
    Beijinhos!!! Depois quero saber se concorda comigo! Saúde para vcs três!

  25. Realmente é um absurdo o que passamos pela falta de educação dos outros!! Outro dia estava no mercado e a fila muito grande e o ar condicionado estava quebrado, peguei a fila preferencial que tinha apenas uma senhora na minha frente, logo depois encostou outra senhora atrás de mim, já viu né, estou de 16 semanas e a barriga não está muito grande. A senhora atrás de mim ficava me olhando feio e resmungando com a amiga. Eu tinha 10 itens para passar e ela com o carrinho abarrotado. Só faltou me pedir o comprovante de gravidez!!! Kkkk Como vc disse educação vem de berço!!! Adorando o diario!!! Bjs

  26. Oi Nati, é minha primeira vez aqui no blog e sabe de uma coisa?? Já me apaixonei… e odiei não terem dado a prioridade que era sua de direito! Ahh, quando acompanho sou fiel e agora, seu blog será my new vício haha!

    Beijos!

  27. Muita falta de respeito o que aconteceu na fila. Mas o que me incomodou tbm ao ler o post é como vc tem que dar explicaçoes pra que as pessoas nao a interpretem errado, e o pior, mesmo assim tem gente que ainda consegue entender de outra forma. Enfim, me coloquei do outro lado e as vezes deve ser cansativo, mas entendo que se nao o fizer é ainda pior…parebens pela paciencia, pelo blog (adoro pq é mais vida real, sem looks mirabolantes) e claro pelo Be!

    1. infelizmente preciso me explicar a cada virgula, pois quando não faço preciso vir me explicar 1 por 1 nos comentários… infelizmente…

  28. Muito triste! Pode ser meio maléfico mas todos vão precisar dessa preferência um dia, por algum motivo, e vão entender direitinho o que eles faziam… o que é pior, mas uma mudança desses vícios, e de qualquer outro, requer vontade e paciência.

    Adoro seu blog! só venho percebendo que ele atualiza muito rapido, então se estou escrevendo ou lendo um post ele atualiza e volta ao inicio da pagina!

    beijinhos pra vcs dois! <3

  29. Olá, nunca comentei por aqui mas sempre leio seu blog, e acho ótimo, estou adorando seu diario de grávida. Estou agora com 27 semanas e assim como vc, com a barriga super pequena. Não costumo usar minha preferência também, e ontem quando estava em uma fila na farmácia, uma idosa me empurrou para passar na minha frente, quase me derruba e me machucou nas costas. Contei até 10 pra não ser mal educada, e ninguém me defendeu, mesmo eu tendo reclamado com a atendente. Acho que esta questão de educação vem piorando muito no Brasil, pq vejo como as pessoas eram na geração dos nossos avós e como são hoje. Precisamos realmente tentar mudar isso para nossos filhos!
    Um beijão pra vc!!!

  30. Nati, somos muito parecidas em muitos aspectos! Infelizmente educação e valores são duas coisas bem delicadas em nosso país, mas o que me conforta é saber que existem pessoas como você que acreditam e lutam por um mundo melhor! Ah, eu tb estou lendo este livro e estou adorando!
    Grande beijo :)

  31. Oi, Nati! Não entro muito no seu blog mas hoje por sorte entrei e li esse post e olha, não poderia concordar mais!!!
    A educação no Brasil é uma coisa para poucos e acho isso muito triste!! Depois de morar fora, essa falta de gentileza das pessoas se mostra mais gritante!
    E olha, concordo muuuuito com o que você disse sobre os filhos entrarem na rotina dos pais! Não sou mãe, tenho apenas 22 anos (hahaha) mas meus pais sempre me criaram assim e concordo demais com eles e com você! A vida dos pais não pode girar em torno do bebê, não é saudável para nenhum dos três!
    Te daria boa sorte mas acho que você nem precisa! Parece que será uma excelente mãe!
    Um beijo!

  32. Eh por isso que os franceses sao rabugentos e chatos… Pq os pais tratam os filhos assim como diz o livro.

  33. Oi Nati, tudo bom? Não sei se vc conhece, mas tem uma youtuber chamada Flavia Calina, que dá inúmeras dicas para crianças, no método Montessori. Ela é um doce de pessoa e a baby V também. Se der, dá uma visitada no canal dela 😉

  34. CHO- CA-DA com a falta de educação deste povo. Mas adorei a sua reação.
    beijos e tudo de bom

  35. Nati, acompanho seu blog há aproximadamente 3 anos e nunca havia comentado antes. Porém, ao ler esse episódio da fila tive que vir falar que realmente a educaçao, ou melhor a falta de educação das pessoas principalmente em filas de embarque em aeroportos é uma coisa quase inexplicável.
    E se a questão é ser acostumada com pessoas educadas ao nosso redor mais íntimo, sinceramente que mundo é esse que estamos vivendas né? Não quero me acostumar com esse tipo de comportamento nunca, você não morreu por causa disso, mas sinceramente a conduta e o desgaste emocional que isso causa é gigante. Você disse que marejou os olhos, eu teria chorado igual criança pequena, não pra fazer cena, mas porque realmente eu acho muito triste essa faltar de sensibilidade e empatia de um ser humano com outro. Penso muito também nesses comentários agressivos em redes sociais, não sei de onde vem tanto ódio, raiva, e vontade de se sobrepor aos outros. Sei lá, achei o episódio muito revoltante, mas ao mesmo tempo mais triste sabe? Por que sabemos que isso é uma conduta reiterada e que talvez não mudará tão cedo. Beijos com carinho, Lorrainy.

  36. Não fique tão triste! Nessas 37 semanas de gravidez Tb encontrei pessoas mega educadas que não só cederam o lugar na fila, como carregaram minhas compras, sacolas etc! Ainda existem pessoas boas no mundo! E quanto ao método de educação…concordo 100000000%! Minha filha nasce em breve e já vou dar início a rotina! Sei q não vai ser fácil, mas costumo dizer que antes de mãe sou mulher e ser humano, tenho as minhas necessidades! Alem disso, mamãe feliz =bebê feliz, e a mãe só vai ser feliz se tiver um tempo pra descansar, namorar e se cuidar!!! Depois conto como vai ser….jajahahahahahaha! Bjos

    1. eu tbm, com certeza… vc está certa =)

  37. Adorei seu post, Nati! deveria sair nos jornais, revistas, pra todo mundo ler e reler.
    Sabe o que mais me espanta ainda? é que a maioria dessas pessoas que aqui agem assim, quando vão à Europa por exemplo adoram ser educados, fazer tudo certo, cruzam a rua na faixa de pedestres, lixo no lixo, respeitam filas, os idosos… fala se não é verdade?!
    Talvez a ideia de País da impunidade seja levada a sério demais.. triste..

  38. Nati querida, eu fiquei indiginada com o que aconteceu com você, mas olha eu ando de metro e ônibus e vejo diariamente essas maleducações por assim dizer e sempre que vejo uma pessoa preferencial, mesmo que os assentos preferenciais estejam livres ou ocupados eu ofereço o meu lugar, acho que educação é tudo nessa vida.
    Calma Nati porque alguém que trabalha na TAM vai ver esse post e os funcionários serão repreendidos, como tem de ser.
    Saúde pra você e pro Bernardo!
    Beijos

  39. Concordo plenamente com vc Nati, falta educação e bom senso as pessoas, se todos fossem educados e respeitassem os outros tudo seria melhor com certeza…

  40. Nati… é tanta coisa “feia” que a gente vê nos dias de hoje… tanta facilidade em apontar o dedo para o outro e julgar… tanta falta de cordialidade!
    Mas eu tenho me focado em uma coisa, quando penso no mundo que meu filhote vai encontrar (ele fez nove meses ontem): essa geração que está chegando, nossos filhos, é de crianças especiais… crianças que terão uma sensibilidade e amor maior… será a salvação para esse mundo tão louco que a gente vive!
    Você está linda grávida! Radiante! Parabéns! Que Deus abençoe!

  41. Trabalhei na TAM por um mês, foi o máximo que consegui aguentar a arrogância e falta de educação dos clientes!
    Sua resposta foi excelente!

  42. Nati, entendo totalmente sua revolta! Tambem estou gravida e tenho uma mini barriga. Muitas pessoas me olham com cara feia quando uso a fila prioritária e até desconfiam… Fico realmente revoltada e triste pela falta de educação neste país!
    Parabéns pelo baby boy!

  43. Fico super sentida com o relato, se estivesse na fila, com certeza daria o meu lugar. Isso não é só falta de educação, é infração à lei. Gestantes, idosos, etc, têm preferência, independente de ter fidelidade ou não. O cartão fidelidade nem entra na discussão. Deixo um beijo e um abraço “virtuais”, teria chorado se tivesse acontecido isso comigo também. Fique com Deus.

  44. Ola! Lamentavel o comportamento e a postura das pessoas e isto eh falta de berço sim. Viajo muito com meus filhos de 3/5 anos, viagens longas e jurei nunca mais voar TAM depois do ultimo voo. A indelicadeza, falta de educacao e grosseria da equipe eh impar, assim como, infelizmente a dos brasileiros.
    O livro que vc esta lendo eh excelente e com dicas valiosas, por experiencia propria tudo que esta la funciona. bjs e Parabens pelo baby!

  45. Oi Nati! Realmente a falta de cultura e educação em nosso país é algo que choca! Mas por outro lado isso serve para mostrar o quando de bom nós temos para passar aos nossos filhos. Através de nossas atitudes eles aprendem, Quanto ao livro, acho ele ótimo e assim como no instagram, deixo aqui a sugestão de outro livro da mesma autora: Crianças francesas dia a dia! É muito bom também. Uma leitura rápida e gostosa. Um ótimo final de semana! Bjs Bi e Bê!

  46. Por Neila Rodrigues Maffezzolli

    Vc tem toda razão Nati infelizmente somos um País sem educação de berço, como vc mencionou não se trata de dinheiro, mas de educação proveniente da família que é a base. Tb estou lendo o livro, tenho uma menininha de 4 anos, é excelente! Acompanho sempre seu blog e vc está ainda mais radiante nessa linda fase que é a gravidez!

  47. Continuando…
    O atendimento e o mesmo, o que nao adianta nada. Sempre reclamo, para ficar claro que nao concordo, mesmo sabendo que nao adianta. É quase como se fosse nosso dever, demonstra um pouco de civilidade. E nos maes, temoa obrigaçao de ensinarmos nossos filhos, ne?

  48. Nati,você tocou num ponto muito importante: o que deveria ser comum virou extraordinário! Cada vez que ajudo um idoso ou cedo lugar no transporte público ou qualquer coisa parecida, a reação de agradecimento e encantamento das pessoas é tão grande que mostra a raridade desses atos. Tá tudo errado mesmo! Infelizmente os valores estão se perdendo. Tudo de bom pra você e pro Bê. Beijos.

  49. Naty vc poderia indicar o nome da loja que vc comprou o carrinho aqui no Brasil?
    Nao vou viajar e estava querendo comprar o meu aqui para o meu príncipe
    Por enquanto so achei bearberry
    bjs

  50. Para as futuras mamães, leitura obrigatória: os segredos de uma encantadora de bebês. Bom para ler enquanto se espera e DEPOIS que nascem ótimo para resgatar informações e colocar em prática.
    Eu li, coloquei em prática todos os ensinamentos e recomendo!

  51. oi Nati, tudo bem? sou mãe de 3 e li esse post recentemente sobre esse livro e achei muito bom. Ja li o livro e tenho varias criticas, mas essa mãe que escreveu o post mora na França e pode falar com mais propriedade. além disso, é sempre bom ouvir um outro ponto de vista sobre um mesmo tema, certo? bjos e parabens. vc esta linda. http://tudosobreminhamae.com/blog/2014/8/31/meu-filho-francs-faz-manha-sim-ou-por-que

  52. Por Mariane Redi da Silva

    Nati, vc deveria era ter colocado a “boca no trombone”….
    Esse nosso mundo é sem educação, justamente pela nossa mania de deixa pra lá, por querermos evitar uma briga e coisa e tals….vc deveria ter ido até a atendente sem educação e falar, “vou precisar chamar um advogado, a TV ou algo assim, pra agirem certo”?
    Eu penso que nós, que estamos com saúde, no fim aguentamos ir no fim da fila…mas e uma senhora idosa e cansada, que tb eh maltratada e passa mal na fila?…ou uma pessoa doente?…por isso tb devemos começar a lutar por direitos…….
    Eu, assim como você, qd estava grávida só usa da lei qd necessário, mas ja vi pessoas que fingem uma gravidez pra furar fila………
    E são nessas pequenas coisas que começam as falcatruas que mais tarde viram as grandes falcatruas como na política…..infelizmente!
    Bjao!

  53. Oi Nati! Concordo plenamente com você sobre a falta de educação das pessoas hoje em dia! Não querendo generalizar, mas em SP é bem pior! Aqui no interior de Minas as pessoas são bem mais pacientes e generosas, param o carro no meio da rua para um pedestre atravessar mesmo que não haja faixa. Acredito que essa correria do paulistano tenha a ver com a falta de enxergar o outro também.

  54. Oi Nati, tudo o que você falou eu concordo e ainda mais em relação a educação das pessoas ao direito de pessoas preferenciais, tenho certeza que seu filho vai tirar nota 10 em educação, e voce vai fazer a diferença no mundo educando o Bernardinho assim, beijos

  55. Nati que alivio ler tudo isso! Ainda não sou mãe mas estou planejamento para o ano que vem, me identifico com tudo o que você escreveu principalmente sobre os pais terem uma vida normal e não viverem apenas para o filho. Conheço vários casais que deixaram de ser “casais” porque agora são pais e mães. Acho muito triste e exatamente por isso quero pensar muito antes de ter o meu! Obrigada por dividir coma gente esse momento tão especial!! Um beijo para vocês!

  56. Nati que nervoso! Sabe que eu sempre fui briguenta, mas na gravidez evitava briga, fiquei sentimental e coisas assim me faixam chorar rsrs. Sobre educar filhos, sempre acreditei nesses vícios, até que minha filha nasceu (tem 7 meses), e vi que simplesmente é amor, carinho.. Não vício. Leia sobre criação com apego, talvez você se identifique quando Be nascer. Beijxos

  57. Acho um porre, no pais do PT, as pessoas com essas chatices e prioridade! La fora vc vai aos museus, em tds os paise da europa, e os senhores e gravidas ficam nas fikas igual a td mundo! Eh pq nenhuma das duas condicoes representa doenca, alias, se vc esta bem p ir ao shopping, ao museu, pegar aviao…p q tem q ter atendimento preferencial? Isso eh ridiculo! Soh mesmo no pais do lulinha q as minorais querem ser tratadas de forma desigual…RIDICULO! Ja fiquei gravida e nunca me sneti como portadora de necessidade de nenhuma dessas “exigencias” …passa o dia no shopping andando e fazendo compras, ai chega no banco ou na loja da claro quer atendida na hora, pelo amor! Vergonha na cara!

    1. comentáro preconceituoso, grosseiro, sem educação e vem falar de vergonha na cara? Ta te sobrando tempo, querida? Vá fazer algo da sua vida…

  58. Oi, Nati! Amo o blog e estou amando acompanhar os diarios, pois tb estou gravida e nessa fase a troca de experiencias é maravilhosa, ne? Estou com 25 semanas e passei por uma situacao parecida alguns dias atras e pasme… Na fila pra votar! Penso exatamente como vc, se a fila estiver curta, nao ha necessidade de usar a preferencial se vc estiver se sentindo bem, mas em filas longas, é dificil ficar aguardando em pé, ainda mais nesse calor… Pois bem, cheguei pra votar e a fila estava imensa e no sol das 11h da manha… Perguntei para o mesario q estava na porta se havia fila preferencial e ele muito educado me disse q sim, inclusive me ofereceu uma cadeira pra sentar enquanto aguardava minha vez. Qdo entrei pra votar e estava entregando meus documentos logo na entrada, uma mulher q era a primeira da fila comum, comecou a bater boca com o mesario da porta, chegou ao cumulo de perguntar pra ele qtas pessoas mais ele iria passar na frente dela e dai pra pior… E eu na sala ouvindo tudo! Fiquei chocada com a falta de educacao, principalmente por se tratar de uma mulher! Pode ate ser q ela nao tenha tido filhos, mas se ela hj esta no mundo foi gracas a uma gestante q a gerou! Assim como vc, nao quis perder meu tempo discutindo nem me estressando, ate pq acredito q pessoas assim nao merecem nosso tempo nem nossa atencao… Elas ja sofrem o suficiente simplesmente por serem quem sao… Mas no meu caso, pelo menos o mesario era consciente e deu uma aula de civilidade naquela pobre criatura, dizendo q ele estava apenas cumprindo uma lei e mais do q isso, estava cumprindo com o dever dele de homem e cidadao.

    1. que absurdo, né??? affe me dá até irritação hehehe

  59. Oi Nati! Já te seguia pelo instagram, mas confesso que nunca tinha entrado no blog rsrsrs Não sou das mais ligadas em moda, gosto, acompanho, mas não sou muito apegada, só sigo outra blogueira além de você, gosto muito do seu estilo e da maneira que você se posiciona sobre diversos assuntos. Estou grávida, no comecinho ainda, 10 semanas, e foi ai que decidi entrar no seu blog. Estou encantada com seus diários, com a maneira leve que você expõe esse momento da sua vida e, principalmente, com seu ponto de vista sobre diversos assuntos. Porque na maioria deles, se não em praticamente todos, é exatamente como eu penso!! A questão da fila de prioridades, parto normal, já vi você falando sobre seu médico liberar você para fazer algo e as pessoas mesmo assim acharem que você é uma mãe irresponsável (haja paciência!), e tantas outras questões! Você é muito racional nos seus posicionamentos e me identifiquei muito com isso. Não sou de fazer comentários, mas realmente queria te parabenizar por conseguir transmitir tudo isso com tanta autenticidade e com tanta paciência, porque não deve ser fácil escutar pessoas que não aceitam opiniões diversas e não conseguem ter um diálogo racional. É isso! Qualquer dúvida de gravidinha, apareço para te “aperriar” (como dizemos aqui em Recife rsrsrs). Beijos

    1. Oie, seja bem vinda por aqui hehehe.
      Fico mto feliz com seu recadinho viu… vc nem imagina quanto!!!!
      Seja muito feliz na sua gravidez, tanto quanto eu fui na minha. Que delícia